Ácido acetilsalicílico

Utilização de ácido acetilsalicílico em comprimidos como padrão primário

Esta experiência tem como objetivo a utilização de ácido acetilsalicílico (AAS) em comprimidos como padrão primário. O AAS será utilizado para padronizar uma solução de NaOH comercial (padrão secundário), que posteriormente será usado na titulação do ácido muriático (HCl comercial).

QUESTÃO PRÉVIA

Como se pode determinar a concentração do ácido muriático (HCl) comercial?

TEMPO PREVISTO

Aproximadamente 30 minutos.

MATERIAL E REAGENTES

  • erlenmeyer de 125 mL

  • balão volumétrico de 100 mL

  • bureta

  • almofariz

  • suporte universal

  • garra

  • pipeta 15 mL

  • funil

  • seringa de 10 mL

  • comprimido de AASâ, Melhoralâ ou Aspirinaâ

  • NaOH comercial

  • ácido muriático

  • lacto-purgaâ

  • etanol

  • água

CUIDADOS

Evite o contato da solução de NaOH ou de ácido muriático com a sua pele. Caso isto ocorra, lave a região afetada com muita água.
Como o álcool etílico é inflamável, não deve haver qualquer chama acesa no laboratório.

PROCEDIMENTO

PARTE 1

Coloque quatro comprimidos do analgésico (500 mg cada comprimido) no almofariz e triture, a seguir transfira o AAS já em pó para um balão volumétrico de 100 mL e complete o volume com uma solução de álcool:água (50%). Calcule a concentração desta solução. Prepare 250 mL de uma solução de hidróxido de sódio 0,10 mol/L (aproximadamente). Coloque 15 mL desta solução em um erlenmeyer e adicione 3 a 5 gotas de solução alcoólica de fenolftaleína.

Encha a bureta com a solução de AAS e a seguir titule a solução contida no erlenmeyer. Para isto, adicione lentamente a solução da bureta ao erlenmeyer até o aparecimento de uma coloração rósea que persista por pelo menos 1 minuto. Anote o volume da solução de AAS gasto para neutralizar o hidróxido de sódio. Calcule a concentração real da solução de hidróxido de sódio comercial que você preparou. Como o NaOH comercial contém impurezas o ideal é preparar uma nova solução levando em conta a pureza do NaOH para obter uma solução de 0,10 mol/L. Repita o procedimento descrito anteriormente.

PARTE 2

Coloque 1 mL de ácido muriático em um balão de 100 mL e complete o volume com água. Transfira uma aliquota de 15 ml para um erlenmeyer e adicione 3 a 5 gotas da solução alcoólica de fenolftaleína. Titule esta solução com o NaOH conforme o procedimento anterior. Calcule a concentração do ácido muriático levando em consideração a diluição efetuada. Este procedimento poderá ser utilizado para a titulação de outras substâncias.

DISCUSSÃO

Em uma titulação qualquer, é fundamental que se conheça a concentração de um reagente em solução (titulante), o qual denominamos solução padrão. Observe que qualquer solução de concentração conhecida pode ser utilizada como padrão. No entanto, é sempre necessário que se tenha uma solução de partida (padrão primário), a partir do qual se pode padronizar outra solução (padrão secundário). Um padrão secundário pode então ser utilizado na padronização de uma terceira solução (padrão terciário). É fácil perceber que não é recomendável proceder a um grande número de padronização devido ao acúmulo de erros de preparação e titulação. Um padrão quaternário, por exemplo, já não apresenta precisão confiável para uma titulação e certamente comprometerá os resultados.

Na preparação de um padrão primário, normalmente é utilizada uma substância que apresenta as seguintes características:

- Deve ser fácil de se obter e de se preservar no estado de pureza;

- A substância deve ter sua massa inalterada durante a pesagem (não ser volátil ou higroscópica);

- A substância deverá ser solúvel sob as condições em que é utilizada;

- A reação com a solução padrão deverá ser estequiométrica;

- Deverá ser estável em solução.

A rigor o AAS não pode ser utilizado como padrão primário, pois este não satisfaz a última condição já que em solução aquosa sofre hidrólise. No entanto, como esta reação é muito lenta podemos utilizá-lo desde que logo após o preparo da solução. Uma vantagem que este procedimento apresenta é que podemos dispensar o uso de balança de precisão se partirmos de comprimidos que o contém na composição, pois a sua massa é sempre expressa na embalagem.

OBSERVAÇÕES

1- O hidróxido de sódio comercial contém muita impureza. Além disso, nem sempre o grau de pureza descrito na embalagem corresponde ao valor real. Para preparar uma solução com a concentração desejada é preciso levar em conta o grau de pureza obtido a partir da titulação. A primeira titulação é realizada para que seja determinado o real teor de NaOH.

2- O ácido muriático comercial também contém impurezas, porém, assim como o NaOH estas impurezas interferem muito pouco em reações ácido-base.

QUESTÕES

1- Qual a pureza da soda cáustica que foi utilizada neste experimento?

2- Qual a concentração do ácido muriático comercial?


Voltar