Berílio Be. Metal alcalino terroso pertencente ao segundo grupo da Tabela Periódica. Z = 4, configuração eletrônica: 1s22s2, MA = 9,012, d = 1,85 g.cm-3, PF = 1285°C, PE = 2970°C. O berílio ocorre nos minerais berilo (3BeO.Al2O3.6SiO2) e crisoberilo (BeO.Al2O3). A esmeralda, a água marinha e o berilo são as gemas dos silicatos de alumínio e berílio. O metal é extraído a partir da mistura fundida de BeF2 / NaF por eletrólise ou por redução de magnésio por BeF2. É usado na manufatura de ligas de Be – Cu que são utilizadas em reatores nucleares como refletores e moderadores devido à sua pequena seção transversal. O óxido de berílio é usado em cerâmicas e em reatores nucleares. O berílio e seus compostos são tóxicos e podem causar graves doenças pulmonares e dermatites. O metal é resistente à oxidação pelo ar devido à formação de uma camada de óxido mas reage com os ácidos clorídrico e sulfúrico diluídos. Os compostos de berílio apresentam forte caráter covalente. O elemento foi isolado independentemente pelos pesquisadores F. Wohler e A. A. Bussy em 1828.


Berilos lapidados originários dos Estados de Minas Gerais,
Bahia e Rio Grande do Norte. A variação na cor 
é conseqüência de variedade na composição

Cristal de esmeralda de 
8 cm, do estado da Bahia.
A esmeralda é um aluminossilicato 
que adquire a cor verde devido 
à presença de impurezas de cromo

Amostra de água marinha 
de 450 gramas. A água 
marinha também é um 
aluminossilicato e a cor 
azulada deve-se à presença 
de pequenas quantidades 
de ferro.

A alexandrita (Al2(BeO4)) é um crisoberilo 
que apresenta a cor rósea sob luz natural 
e verde sob luz artificial .